Casos VivusFisio


Esta transformação aconteceu com 6 sessões num espaço de 2 meses.

Pós parto de 7 semanas de segundo filho, com escoliose, dores nas costas crónicas e diástase abdominal.

No final das sessões já não tinha dores nas costas no seu dia a dia, a diástase estava fechada e conseguia aguentar uma aula completa de abdominais no ginásio sem dores.






10 semanas separam estas fotografias e foram efetuadas 5 sessões.

Nas sessões individuais com fisioterapeuta especializada foi trabalhado postura, fortalecimento dos músculos abdominais e lombares, e trabalho cárdio respiratório para aumento de resistência.

No final de cada sessão a paciente ficava com um plano personalizado que tinha as imagens dos exercícios que devia ir mantendo em casa.

A paciente foi super disciplinada e estes foram os resutados que conseguiu atingir. Um abdominal funcional, diástase fechada e uma forma física que já lhe permite retomar o exercício físico sem restrições.



Nestas fotos é visível o efeito da má postura na barriga por isso é que dizemos sempre não se pode tratar diástase olhando apenas para a zona abdominal.

Esta senhora só fez 1 sessão e esta foi a sua evolução em 15 dias.











31 anos, pós parto de 4 meses, cesariana.

Teve que estar de repouso toda a gravidez por ser considerada de risco pois tinha historial de 3 abortos anteriores. Nunca teve hábitos de exercício e por isso vai começar a sua recuperação pós parto connosco.

Estas fotografias têm diferença de uma semana e uma sessão apenas. Na primeira foto a barriga estava descaída porque o abdominal estava desligado, na segunda já se vê um abdómen mais ativo e forte.





Pós parto de cesariana há 2 meses do segundo filho.

Paciente não tinha hábitos de exercício desde a primeira gravidez (há 5 anos), tinha dores de costas diariamente e já foi operada a uma escoliose, por isso decidiu começar a sua recuperação pós parto connosco.

Na avaliação referiu ter tido perdas de urina no final da gravidez e que sofria de obstipação desde a última gravidez. Verificamos uma diástase grande e falta de força generalizada do tronco.

Como os objetivos eram melhorar a postura e diminuir as dores, optamos em conjunto por fazer um acompanhamento durante toda a licença de maternidade.

Estas fotos foram tiradas com 3 meses de diferença e foram feitas 8 sessões.



A primeira foto foi tirada na avaliação e a segunda já foi tirada pela paciente um mês depois.

Mulher de 27 anos, pós parto de cesariana há 4 meses, primeiro filho. Na avaliação referiu dormência no fundo da barriga, obstipação e dores na relação sexual.

Aumentou 20 kgs na gravidez e teve 5 meses de repouso por indicação médica.

Entre estas 2 fotos só foram realizadas 2 sessões (uma presencial e outra online). Um mês depois para além da diferença de volume abdomuninal já tinha o intestino regular e o adormecimento praticamente inexistente.


Sinta a diferença, sinta se Vivus.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo