Fisioterapeuta e mãe de primeiro filho: Primeiro trimestre

Depois de acompanhar várias grávidas e recém mamãs chegou a minha vez.


Nas próximas semanas irei partilhar a minha experiência durante a gravidez e pós parto, do ponto de vista de mãe e fisioterapeuta especializada na área.

Cada grávida é um ser único, com necessidades especiais e tempos diferentes por isso aconselho todas a serem avaliadas por um profissional de forma a fazerem a melhor preparação no vosso caso.


No que toca a sintomas, fui uma felizarda, senti apenas um aumento de sonolência e quase não tive enjoos. Por estes motivos consegui manter a minha rotina de exercício físico.

Mantive a frequência de 3 a 5x por semana, intercalando entre ginásio (aulas de localizada, cardio e pilates), caminhadas ao ar livre e exercício em casa, muito por culpa do estado em que vivemos atualmente.

Importante salientar que a gravidez foi planeada por isso já ando há cerca de 1 ano a preparar o meu corpo e graças a esse trabalho específico não sinto qualquer desconforto ou limitação.


Tento sempre que cada sessão dure entre 30 a 40 minutos, seguindo assim as recomendações das guidelines internacionais mais recentes definidas pelas entidades de saúde do Canadá em 2019.

Complementarmente faço todos os dias entre 10 a 20 contrações do pavimento pélvico, nas quais trabalho não só força máxima mas também amplitude, relaxamento e resistência.


Decidi também que era importante ter um plano alimentar adequado ao momento, prescrito por uma nutricionista, para garantir um correto aporte de nutrientes para mim e para o meu bebé. A consulta foi muito útil porque percebi que cometia alguns erros alimentares e aprendi que devo manter as calorias diárias, pois só no terceiro trimestre se deve aumentar este aporte calórico.


Desde as 12 semanas que também aplico diariamente creme às ancas, barriga e mamas para prevenir estrias, intercalando entre creme hidratante e creme anti estrias.


Neste momento estou de 15 semanas, sinto me bem, não tenho qualquer sintoma nem desconforto e a barriga ainda mal se nota, portanto vou manter a frequência de exercício e para já não vou realizar nenhum trabalho específico para a gravidez ou parto.

Semana a semana avaliarei a situação mas provavelmente começarei, o trabalho especifico, entre as 16 e as 18 semanas e nessa altura vou partilhar a minha preparação na gravidez.


Não deve ser seguida como modelo por todas as grávidas pois todas são diferentes e a preparação deve ser orientada e personalizada.


Se tiverem dúvidas ou questões disponham, através do nosso site, facebook, instagram, e-mail ou whatsapp.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo